quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

As pessoas são muito burras - Resultados de um experimento socialmente inaceitável

As pessoas são muito burras - Resultados de um experimento socialmente inaceitável

De verdade, e não é besteira minha ou eu me achando nem nada. Elas conseguem ser burras o bastante pra errar e insistir no erro. Sério. Vou te contar uma história em que eu me deixei levar pela minha estupidez e por pressões externas e fui capaz de fazer merda em cima de merda. Um tempo atrás, eu fui responsável por fazer acontecer um evento na escola em uma das equipes. Desastre total, diga-se de passagem. Qdo veio uma menina, amiga, parceira, mas que conhecia há pouco tempo. Como toda amiga, fiz o que faço com toda pessoa feminina que eu prezo e que eu tenha certeza que não vai me prejudicar ou interpretar sinais erroneamente: abraços, beijos, brincadeiras, nada demais. Me enganei, ela entendeu errado e no fim do dia, tava falando em namoro. Eu, super cansado de um dia puxado de trabalho, não vi a situação direito, me envolvi com ela, prestando atenção de não prejudicar uma outra que dizia gostar de mim e infelizmente eu não podia fazer nada. Resultado: não fiz nem uma coisa nem outra. Aliás, um beijo não mata ninguém, segui minha vida até um dia aquela, que tinha uma fama meio ruim  (que ela negava, mas aí eu descobri que era verdade), me veio falando que ama. Eu, que nunca acreditei nessas besteiras hollywoodianas de amor, nem liguei. Consegui enrolar por um mês. A partir daí, todas as decisões foram tomadas as 3 da manhã, morrendo de sono e sob uma pressão desgraçada dela. Resolvi brincar. Pedi ela em namoro, não pensei, não meditei esse mês e já tava começando a gostar dela, nem tanto, mas a achar maneiras de conseguir mais e mais tanto dela qto desse relacionamento. No começo, eu me gabava pra mim mesmo como eu conseguia ser falso sem ser descoberto. Meus amigos chegaram a achar que eu estava a fim dela, e eu não podia contar esse "plano" por razões óbvias. Não deu um mês esse estudo, esse experimento caiu por água abaixo e ela voltou com o ex, sem ninguém saber. Essa história pra quê??

Nesse experimento, eu queria medir com o máximo de rigor a confiabilidade de pessoas quando envolvidas em sentimento: elas, mesmo com todo incentivo para falarem a verdade, e métodos científicos corretos, elas seriam capaz de mentir e enganar quem "ama" (isso eu não entrei em rigor científico, pois pareceu-me claro que sim em suas atitudes, se quiser saber como cheguei a essas conclusões comenta aqui embaixo) para que elas sintam melhores. Sim, e muito. Somente aproximadamente 2 em cada 7 perguntas de nível de exigência alto eram verdade. Não falando que foi um experimento, disse pra ela em duras palavras, que a verdade tinha que ser a base de tudo. Ela emputeceu, logicamente. Avisei o ex, para além de alterar os resultados para com ele e seja mais prazeroso para eles, mude o caráter daquele ser humano. E eles estão juntos, o que me leva a somente uma conclusão: ela deve ter feito o mesmo com ele enquanto eles estavam juntos na primeira vez e sem maiores resistências por parte dele. E nessa vez deve ser o mesmo. Só pergunto, como fundo para a publicação informal do resultado do método de exames psicológicos e de personalidade, ele tem algum interesse em manter-se enganado ou é somente incapaz de perceber??

PS.: acho que eu sinto falta dela, da forma como ela "me amou" e de fazer experimentos socialmente inaceitáveis com ela. Numa melhor ela não está, isso eu tenho certeza, mas sei que o cara que está com ela também não está melhor que eu. E é assim, com distanciamento dos sentidos das palavras que se sai por cima

Nenhum comentário:

Postar um comentário